Menú Cerrar

2006-10-28 Silo, La Reja, Buenos Aires, Laying on of hands

We are going to do an Imposition Ceremony. And it’s for us about the Force and all that. We are going to repeat phrases from that text. And as we say those phrases, they help what is being said. We will repeat as to help one go in that direction. You have ways to tune in or not. The best way to tune into these things is to get into this things, my mind is restless, my body I don’t know what, well and then all that. But more than anything, to go trying to connect with someone who is inside, who is oneself. What is a good person. There is no reason to escape it. And you have to target that internal good person inside you. That everyone, even one has. Everyone on the planet, everyone has a good person inside. So let’s get close to  something there to tune in. With ourselves. With that internal thing that many times we do not see. Of course we don’t see it when we look in the mirror. Let’s see how we achieve that harmony. We are going to repeat some phrases at some point, until we manage to tune in. Not with others. Not with the «everything» and stuff. No. With oneself. With that deep thing within each one. With the depth of oneself. With that thing that doesn’t have a lot of  words.

2006-10-28 Silo, La Reja, Buenos Aires, Cerimônia de Imposição

Nós vamos fazer uma Cerimônia de Imposição. E é para nós a questão da Força e tudo isso. Vamos repetir frases desse texto. E à medida que vamos dizendo essas frases, ajudam ao que se está dizendo. Vamos repetir para ajudar que cada um vá nessa direção. Cada um tem formas de se sintonizar, ou não. A melhor forma de se sintonizar nessas coisas é se meter com suas coisas, em “minha mente está inquieta…”, “meu corpo…” não sei o quê, bem, e tudo isso. Mas, tratando de me conectar com alguém que está dentro, que é consigo mesmo. Que é uma boa pessoa. Não há porque escapar disso. E temos que apontar a essa coisa interna de “boa pessoa”, que todos, inclusive eu mesmo, tenho. Todo o planeta, todo mundo tem uma boa pessoa dentro. Assim, porque tanta história e tanta distância quando temos aí algo para colocarmos em sintonia. Com nós mesmos. Com essa coisa interna que muitas vezes não vemos. Lógico que não vemos quando nos olhamos no espelho. Melhor assim, melhor assim. Ver como conseguimos essa sintonia. Vamos repetindo em algum momento algumas frases, até que consigamos nos sintonizar. Não com outros. Não com o “todo” e essas coisas. Não. Consigo mesmo. Com essa coisa profunda de cada um. Com o profundo de cada um. Com essa coisa que não tem tantas palavras

2006-10-28 Silo, La Reja, Buenos Aires, Cerimonia di Imposizione

Facciamo una Cerimonia di Imposizione. Ed è per noi la cosa della Forza e così via. Ripetiamo le frasi di quel testo. E man mano che diciamo quelle frasi… aiutano quello che si sta dicendo. Ripetiamo come per aiutare uno ad andare in quella direzione. Uno ha modo di sintonizzarsi oppure no. Il miglior modo di sintonizzarsi in queste cose è che uno si metta nelle proprie cose, su “la mia mente è inquieta”, “il mio corpo” non so che, bene, e poi tutto questo. Però, prima di tutto, cercare di connettermi con qualcuno che è dentro, che è se stesso. Che è una persona buona. Non c’è motivo di sfuggirle. E bisogna mirare a quella cosa interna di persona buona. Che tutti, perfino uno, hanno. Tutto il pianeta, tutti hanno una persona buona dentro. Cosicché tante storie e tanta distanza quando abbiamo lì qualcosa per metterci in sintonia. Con noi stessi. Con quella cosa interna che molte volte non vediamo. Certamente non la vediamo quando ci guardiamo allo specchio. Meglio così, meglio così. Vediamo come raggiungiamo quella sintonia. Ripeteremo in alcuni momenti alcune frasi, finché riusciremo a sintonizzarci. Non con gli altri. Non con il “tutto” e cose simili. No. Con sé. Con quella cosa profonda di ognuno. Con il proprio profondo. Con quella cosa che non ha tante parole.

2006-10-28 Silo, La Reja, Buenos Aires, Ceremonia de Imposición

Nosotros vamos hacer una Ceremonia de Imposición. Y es para nosotros lo de la Fuerza y todo aquello. Vamos a repetir frases de ese texto. Y a medida que vamos diciendo esas frases, ayudan a lo que se está diciendo. Vamos a repetir como para ayudar a que uno vaya en esa dirección. Uno tiene formas de sintonizarse o no. La mejor forma de sintonizarse en estas cosas es meterse uno con sus cosas, en mi mente está inquieta, mi cuerpo no sé qué, bueno y después todo eso. Pero más que nada para ir tratando de conectarme con alguien que está adentro, que es uno mismo. Que es una buena persona. No hay por qué escaparle. Y hay que apuntarle a esa cosa interna de buena persona. Que todos, hasta uno tiene. Todo el planeta, todo el mundo tiene una buena persona adentro. Así qué tanta historia y tanta distancia cuando tenemos ahí algo para ponernos en sintonía. Con nosotros mismos. Con esa cosa interna que muchas veces no la vemos. Por supuesto que no la vemos cuando nos miramos al espejo. A ver cómo logramos esa sintonía. Vamos a ir repitiendo en algún momento algunas frases, hasta que logremos sintonizarnos. No con otros. No con el “todo” y esas cosas. No. Con uno. Con esa cosa profunda de cada uno. Con lo profundo de uno. Con esa cosa que no tiene tantas palabras.